WELCOME TO KONE!

Are you interested in KONE as a corporate business or a career opportunity?

Corporate site

Would you like to find out more about the solutions available in your area, including the local contact information, on your respective KONE website?

Your suggested website is

United States

Go to your suggested website

Cookies

Usamos cookies para otimizar a funcionalidade do site e para lhe dar a melhor experiência possível enquanto navega no nosso site.Se você concordar com isso e aceitar todas as cookies, basta clicar no botão 'Aceitar'.Você também pode rever a nossa declaração de privacidade.

Back to top

NOVAS REGRAS DO JOGO

A digitalização tem o poder de transformar a indústria, melhorar a qualidade e trazer inovações ao mercado mais rapidamente. Antti Koskelin, CIO na KONE, explica de que forma a KONE está a moldar as suas operações à tendência.

Como líder do seu setor, a KONE tem-se adaptado à digitalização através de um trabalho árduo para combinar os conhecimentos tecnológicos com a agilidade comercial. "Se quisermos ter a melhor seleção de elevadores, escadas rolantes e portas para a melhor experiência de fluxo de pessoas – e o melhor desempenho na assistência no local –, nós só chegaremos lá se fizermos algo", afirma Antti Koskelin, CIO na KONE.

Koskelin recorre ao exemplo da indústria automóvel para explicar melhor. "Grande parte da inovação na indústria automóvel vem do software e da digitalização. Começa-se por um produto muito mecânico – rodas, chassis, motor, etc. –, e agora vemos carros autónomos, assistência remota e diagnóstico, que são acionados por software", afirma.

"Os carros conectados são uma realidade, e a assistência ao consumidor estão a ser adicionados ao equipamento tradicional e ao negócio da manutenção. Existem muitas semelhanças com os nossos negócios na KONE", afirma Koskelin.

MENOS DESLOCAÇÕES

O CIO da KONE acredita que a chave está na compreensão de 5 áreas cruciais.

A primeira é a utilização de sensores para tornar o equipamento mais inteligente e acessível. Os atuais sistemas de controlo de acesso da KONE integram sensores em elevadores, portas e smartphones.

A segunda é a conectividade. Koskelin acredita que os diagnósticos remotos são possíveis com as tecnologias atuais. "Nós inspecionamos milhares de elevadores várias vezes por ano e, se o elevador puder ser acedido remotamente ou se puder destacar potenciais problemas, os nossos técnicos não teriam de se deslocar sempre para o local", acrescenta.

A terceira é o armazenamento de dados, e a quarta, segundo ele, é a análise. Embora o armazenamento de dados seja muito barato (o que torna a capacidade ilimitada e as tecnologias de nuvem numa realidade), os potentes mecanismos de análise e algoritmos ajudam a analisar dados com mais eficácia, para melhorar, por exemplo, o People Flow em áreas urbanas muito povoadas.

A quinta área é a mobilização, ou seja, a capacidade de combinar com as outras quatro. "Se formos capazes de colocar tudo isto nas mãos dos nossos técnicos de assistência no local, estaremos a contribuir para prestar uma melhor assistência aos nossos clientes", acrescenta.

AMBIÇÕES AUMENTADAS

"Na digitalização, a experiência do cliente e a gestão do utilizador é tudo, e o nível de assistência esperado dos fornecedores numa era digital é muito elevado", afirma Koskelin.

Visto desta perspetiva, o diagnóstico está feito. O futuro pode manter a possibilidade da impressão 3D "a tempo" de peças sobresselentes na parte de trás dos veículos de assistência da KONE, antes de os técnicos chegarem ao local.

A digitalização traz definitivamente um valor de entretenimento, operacional e de negócio. A combinação não tem preço.

Partilhe esta página